Qdo a criança pode escolher com quem quer morar???

Aqui você encontra pais e profissionais conversando, trocando experiências e dando informações sobre a Guarda Compartilhada e paternidade.

Se você tem alguma dúvida específica sobre questões jurídicas, antes consulte os inúmeros textos no site PaiLegal, no forum LEITURAS SUGERIDAS POR PAIS e em Perguntas Mais Frequentes.

Registre-se para poder escrever esse forum (serviço gratúito).

Moderadores: srvilelabr, dan.ogando, paulohabl

Qdo a criança pode escolher com quem quer morar???

Mensagempor Vkt » Qua Out 31, 2007 12:17 pm

Olá pessoal! Gostaria de saber com q idade a criança pode escolher com quem morar! Tenho uma enteada, agora com 7 anos, e que morou conosco durante 1 ano e 3 meses. A vida dela mudou da água pro vinho: evoluiu na escola, fazia natação, balé, computação, tinha roupas e calçados impecáveis, fazia tratamento com alergista por causa de alergia respiratória, enfim, uma vida digna, comparada com a vida q tinha com a mãe (ela ficava sempre de um lado pro outro, uma hora com avó, outra hora com tia, vivia empestiada de piolhos, cabelo sem cortar, roupas em condições de miséria, não se alimentava de legumes e coisas saudáveis, vivia na base do leite, miojo e ovo). Até a audiência q determinou a volta dela pra mãe, foram feitas 2 entrevistas com psicólogas e assistentes sociais, sendo a primeira assistente social favorável ao pai, e as psicólogas favoráveis à mãe, pois segundo elas, a mãe tinha "endireitado", pois arrumou mais um filho e casou, e eu e meu marido sempre os carrascos, usando termos como MAdrasta, q já é tão negativo... alegando q queríamos afastar a menina da mãe... um absurdo... porém a menina não queria mais voltar a morar com a mãe, q fazia as visitas regularmente todos os domingos. Enfrentamos problemas até hj, depois de 7 meses do retorno da menina à mãe. Ela continua dizendo q não gosta de morar com a mãe, q não gosta do padastro e q gosta de morar com o pai. Depois do retorno à mãe, td foi tirado: ela saiu daqui na 1ª série, a mãe matriculou no pré, não continuou o tratamento com o alergista, já veio queimada de ferro, vem com a cabeça lotada de piolhos, picada de pulga, além da mãe não passar o nr do telefone da casa pro pai ligar pra filha, ele tem q ligar em um celular q fica sempre desligado, ou seja, fica dificultando... Aí eu pergunto, qdo q ela poderá ser ouvida, qdo ela poderá escolher com quem quer morar??? A mãe foi perguntada pelo juiz se mesmo sabendo q a menina não queria ficar com ela, se ela não abriria mão, e ela disse: NÃO ABRO MÃO. Enquanto isso a menina sofre, na hora de ir embora está sempre triste, reclama da mãe, do padastro, enfim, não quer ficar com a mãe...QDO ELA VAI SER ESCUTADA, JÁ Q AS PSICÓLOGAS SÃO SEMPRE FAVORÁVEIS À MÃE, MESMO SABENDO Q AS CONDIÇÕES DE HIGIENE, SAÚDE, FINANCEIRAS SÃO MELHORES COM O PAI??? Aguardo opiniões... Daniela
Vkt
 
Mensagens: 17
Registrado em: Ter Out 30, 2007 4:08 pm

por » Ter Nov 06, 2007 10:39 am

 

se a lei fosse cumprida

Mensagempor MarceloSP » Ter Nov 06, 2007 10:39 am

Se a lei fosse realmente cumprida no Brasil a idade seria 12 anos quando a criança passa a ser considerada adolescente segundo o ECA.
Na prática ainda temos um total preconceito contra o pai que só obtem a guarda quando a mae é considerada incapaz totalmente de cuidar.
Pelo que acompanho nas sentenças divulgadas pela Internet, tentar uma reversão de guarda antes dos 12 é jogar dinheiro fora com advogados pois embora ela seja ouvida o juiz ignorará sua opinião.
Há na internet uma sentença antiga de um atual ministro do STF que ele conclui com a pérola "sendo irrelevante o desejo expresso pelo menor a guarda permanece com a mãe".
MarceloSP
Participante Atuante
 
Mensagens: 582
Registrado em: Dom Ago 06, 2006 7:40 pm

Quando a criança pode escolher com quem quer morar

Mensagempor Elpídio » Ter Nov 06, 2007 1:53 pm

Olá Vkt,
Infelizmente, como o Marcelo disse, só aos 12 anos a opinião da criança é levada em consideração, com raras exceções.
Mas não desistam, chame pesoas dignas e dispostas a declarar em juizo, para ver o tudo o que está ocorrendo, tire fotos, faça filmes, vá juntando todo tipo de provas e entre na justiça (outra vez) pedindo alteração da guarda. Pode acontecer algo diferente.
Entendo bem a angústia de vocês, mas não desista nunca de proporcionar o melhar para a criança.
Abraços
Elpídio
Elpídio
Participante Atuante
 
Mensagens: 723
Registrado em: Qua Nov 08, 2006 10:45 am
Localização: Vila Velha E.S.

Guarda

Mensagempor Pai não é menor que mãe » Ter Nov 20, 2007 11:36 am

Pois é, tenho duas filhas, uma com 10 anos e outra com 8. As crianças apresentam sinais de traumas pisicológicos. A com 10 anos quer morar comigo, conversou com a mãe que diz aceitar à ela, qdo vou tocar no assunto ela, a mãe, ri na minha cara e ironiza. As meninas ficam mais com os avós maternos do que com a mãe, avós estes, totalmente desequilibrados, que falam mal de mim a toda hora para as crianças. Inclusive o pai da minha ex, tem me infrentado tentando uma briga. Qdo elas poderão decidir com quem querem ficar? Só aos 12 anos? E mesmo assim, qdo a maior tiver 12 a menor terá 10; o juiz poderá ouvir a maior e deixar que ela fique comigo? e a menor?
Help, help, help. Elas clamam!!!!!!!!!!! Justiça cega e burra!!!!!!!
Abs
Pai não é menor que mãe
 
Mensagens: 1
Registrado em: Seg Nov 19, 2007 1:27 pm

continuando...

Mensagempor Vkt » Seg Nov 26, 2007 5:14 pm

Eu acho que os juízes até escutam a criança com uma idade menor... Minha enteada foi ouvida uma vez, mas como ela tinha passado por uma sessão de "lavagem cerebral" com a mãe dois dias antes da audiência, chegou na hora H e ela ficou muda... assim disse o Juiz... considerando que a promotora era a favor da mãe, imagina como foi essa conversa... Bom, mas continuando, acredito que eles conversem com a criança, desde que haja o laudo psicológico e estudo social... Meu esposo em breve vai tentar reverter a guarda, já que a mãe da menina mudou-se, sem passar o endereço, pra um fim de mundo sem a menor condição e conforto, uma casa de 2 quartos, sala e cozinha, em uma região onde tem esgoto a céu aberto, casa sem piso nos quartos, sem revestimento nas paredes, e assim por diante... Nada contra quem mora nessa situação, mas nesse caso, a menina poderia estar vivendo com muito mais conforto, além de ela não estar fazendo o tratamento de alergia respiratória, ter perdido o 1º ano da escola (a mãe matriculou no pré de novo), viver com a cabeça impestiada de piolhos, picadas de pulga, a mãe queimou com ferro, ter perdido a natação, o balé, a computação... Enfim, uma mãe que ama realmente uma filha pensaria no que é melhor pra ela. Além disso a pequena não gosta do padastro e nem gosta de morar com a mãe... Enfim, a luta vai continuar...
Vkt
 
Mensagens: 17
Registrado em: Ter Out 30, 2007 4:08 pm

Mensagempor luiz_mccartney » Qui Nov 29, 2007 11:29 am

Daniela, algumas coisas são meio travadas na nossa Justiça, tem vários Pilatos lavadores-de-mão que na dúvida deixam tudo como está. Mas temos que ser persistentes, não abaixar a cabeça nunca, como o pessoal já havia falado antes, junte provas, tire fotos da menina (sobre a queimadura e piolhos), do local onde está morando, pegue as fotos antigas dela e vá até o Conselho Tutelar, tire cópia de todos os documentos que provem a Natação, Escola etc, enfim, junte prova de tudo e bata cartão na porta do Conselho. Vá a uma Delegacia e peça para acompanharem vcs. até a casa dela e da frente da casa liguem para ela, peça para ela explicar aos policias o pq. não atende o telefone e pq. ela complica tanto a convivência com vcs. Com as provas todas vc. vai mostrar que no Julgamento fizeram um grande mal em mandarem a filha de volta para mãe.

Um abraço e boa sorte,

Luiz
luiz_mccartney
Participante Atuante
 
Mensagens: 137
Registrado em: Ter Dez 28, 2004 12:10 am
Localização: São Paulo - Pirituba


Voltar para GRUPO DE DISCUSSÃO

Quem está online

Usuários navegando neste fórum: Google [Bot], Yahoo [Bot] e 3 visitantes