Artigos

PARA TODOS - OPÇÂO PELO AMOR

Comovente relato testemunhal de uma usuária do grupo de discussão do site sobre como superou a crise pós-separação, e de como formou uma nova relação parental. Como diz o Luiz Reis, Caros Todos: ( olha o plágio aí gente!!!)

Bom.... eu sou uma das tantas mães legais.... que existem por aí, e
venho aqui dizer, que depois de anos.... as coisas podem mudar sim, mas
nós, precisamos fazer a diferença.... precisamos contribuir... e fazer a
nossa parte.

Longe, mas muito longe mesmo de ser a "dona da razão", e de o pai da
minha filhota ser o "dono da razão", estamos conseguindo com louvor, e
vale aqui dizer que por esforço de ambos, uma convivência harmônica e
feliz e prol da nossa filha.

Curiosa essa parte, já que os mais antigos do Pai Legal, devem se
lembrar quando eu costumava reclamar que ele não dava a menor bola pra
filha e só cumpria o protocolo. Rolou briga, e muitas, barraco,
delegacia, ameaças, etc...etc...etc...etc.... Eu costumava tratá-lo de
falecido, e ele me chamava de estorvo...rs..

Hoje, voltamos a nos chamar carinhosamente, nos cumprimentamos com um
abraço,e nos ajudamos sempre, dentro dos nossos limites e possibilidades
e só temos palavras agradáveis pra trocar. O caminho foi árduo, doloroso
para ambos, mas dizem que depois de toda a tempestade vem a calmaria...

Eu sempre reclamei, mas é preciso que eu seja justa nesse momento. E é o
quero compartilhar com vocês.... Posso falar somente de mim. Não é
conselho, palpite, não significa que o que serviu pra mim, servirá para
alguém.

Conseguimos, no decorrer de quase 5 anos, entender, que podemos ainda
contar um com o outro. E que o que nos uniu e nos fez escolher ter uma
filha, é uma profunda amizade.

Esses últimos dias tem sido difíceis, e muito. E ele tem sido um grande
amigo, pra minha grande surpresa. Generoso, atencioso e amigo. E
importante dizer, que frente aos últimos acontecimentos, a atitude de se
esperar era exatamente a oposta. A tempos atrás, além de retaliações,
haveriam espinafradas, xingamentos e tantos achincalhes. Que levariam a
respostas no mesmo tom.

Mas não. Frente à gravidade do problema, ao invés de uma espinafrada
daquelas, tive sim, uma mão estendida e um ombro pra chorar, e como a
muitos anos não acontecia, não me senti sozinha, remando contra a maré.
Pode até ser, para os mais céticos, que ou por compaixão, ou por egoísmo
dele, pois ele também está envolvido nos últimos acontecimentos. Mas
presente.

Eu passei por uma falência a 5 anos atrás. Quem passou por isso sabe o
que é. Perdi tudo, e a plaquinha de "LOOOSER" em neon na testa, Às vezes
insiste em ficar brilhando. Perdi amigos, perdi um casamento e até a
família. Mas não perdi a esperança. A fé.

Quando você passa por um problema assim, vc entende que o futuro, pode
deixar de ser prioridade. Você entende, que dinheiro, apesar de bom, não
é motivo pra brigar com ninguém. É apenas um meio de se sobreviver. E
você entende a diferença, quando não o tem mais.

Quando as pessoas que ficam na sua vida, ficam por você, e não por
aquilo que vc oferece ou tem. Quando você aprende a calar, pq palavras
mal ditas, podem ferir mais que uma faca, ou um tiro. Quando você
aprende a olhar as coisas por todos os ângulos, e ter o equilíbrio de
tentar não julgar, mas sim entender o porque de determinadas atitudes.

Você aprende a valorizar o que tem valor. Hoje eu tenho um pouco de
muitas coisas que perdi, a diferença é que sei o que realmente tem valor.

Mas que isso, quando você aprende a receber apenas o que vem, e dar tudo
o que você pode. Quando você não se justifica mais por você ou pelos
outros. Mas acima de tudo, quando a única arma que você usa é o AMOR.

Eu optei pelo amor....e falo que hoje colho amor..... de minha família,
de minha filha, de meus amigos e do meu ex marido.

Digo, que optar pelo amor, como me disse um amigo teólogo, é muito mais
dolorido do que muitas coisas na vida, mas que sempre vale a pena.

Linda semana pra todos.

Regina

PrintEmail