Notícias

ALIENAÇÃO PARENTAL EM DEBATE

Finalmente o DSM-5 foi publicado hoje.

Recebi notícias do coordenador do nosso grupo de trabalho que nos uniu com objetivo de trazer argumentos à Task Force do DSM-5 sobre a necessidade de incluir o termo Alienação Parental no manual. Nosso trabalho resultou no livro "Parental alienation, DSM-5, and ICD-11", com contribuidores de todo o mundo, inclusive do Brasil.

O DSM-5 Task Force disse-nos, 2 ou 3 anos atrás, que eles não queriam incluir a alienação parental como um diagnóstico separado no DSM-5. Mas pensavam que a alienação parental poderia ser considerada em exemplos de outros diagnósticos que estão no DSM-5.

A palavra "alienação parental" não está no DSM-5, mas existem vários diagnósticos que podem ser utilizados nestes casos. Eu diria que o "espírito" da alienação parental está no DSM-5, mesmo que a palavra não esteja.

Problemas de relacionamento pai-filho - tem agora uma discussão no DSM-5. Não é apenas um rótulo. Este diagnóstico explica que os problemas relacionais entre pais e filhos "podem incluir atribuições negativas de intenções do outro, a hostilidade em direção ou bode expiatório do outro e sentimentos indevidos de estranhamento". Essa é uma boa descrição de vista de uma criança alienada do genitor alvo, embora seja um uso infeliz da palavra "alienação".

Abuso psicológico da criança - é um novo diagnóstico no DSM-5. É definido como "atos verbais ou simbólicos, não acidentais, por pai ou cuidador, que têm um potencial razoável para resultar em danos psicológicos significativos para a criança." Lembremos que, em muitos casos, o comportamento do pai alienante constitui abuso psicológico da criança.

Criança afetada pela relação parental conflituosa - é um novo diagnóstico no DSM-5. Ela deve ser usada "quando no foco de atenção clínica, os efeitos negativos da relação parental conflituosa (por exemplo, altos níveis de conflito, angústia, ou a depreciação) em uma criança na família, incluindo os efeitos sobre doenças físicas ou mentais outro da criança." Isso também é uma boa descrição de como alienação parental acontece.

Transtorno factício por procuração - terminologia para distúrbio de Munchausen por procuração. Sua definição é "falsificação de sinais ou sintomas físicos ou psicológicos, ou indução de lesão ou doença, associada a uma decepção" Em alguns casos, que descrevem o comportamento do genitor alienante.

Sintomas delirantes em parceiro de um indivíduo com transtorno delirante - terminologia para transtorno psicótico compartilhado ou folie a deux. A definição : "No contexto de uma relação, o material delirante do parceiro dominante fornece conteúdo para a crença ilusória de que o indivíduo que não pode de outra maneira inteiramente cumprir os critérios para o transtorno delirante."

Na discussão deste tópico, eu diria que o conceito de alienação parental existe claramente no DSM-5, embora a palavra não seja utilizada. Esta é uma grande melhoria em relação ao DSM-IV-TR, especialmente com a adição dos novos diagnósticos, abuso psicológico da criança e criança afetada pela relação parental em conflito.

PrintEmail