Artigos

QUERO APENAS SER PAI

São 5:15 da manhã e estou mais uma noite com insônia.

Tentando dizer para mim que vai passar, que amanhã eu vou dormir e ter uma noite de sono descente. Passei a noite inteira tentando colocar na minha cabeça que esse pesadelo vai acabar logo. Mas desde 29 de Novembro de 2004 que não tem uma noite em que eu não acorde em meio à madrugada pensando no minha filha, sem um dia imaginar se algo poderia ter sido diferente. Imaginar o que ela esta pensando sobre o pai, imaginar o que ela esta aprontando a cada minuto que passa e até como ela estaria se estivesse comigo. Dói muito olhar para a foto dela, dói muito pensar nela, dói muito não lembrar do rosto dela por causa da distancia e do tempo.

Passei a morar com ela logo após seu nascimento, completado seus dois meses de vida me vi na responsabilidade de cuidar do ser mais importante da minha vida. Assim passei a amá-la e ao mesmo tempo a ter medo. Ela me fez entender que ser pai é passar a viver para e pelo filha. Cresci muito como homem e principalmente emocionalmente, digo isso porque quando muitos me disseram que minha vida tinha acabado, mas foi um sonho realizando-se.

Esforcei-me demais para cuidar dela nesse um ano e meio em que ela esteve morando comigo, confesso que senti medo desde o dia em que ela nasceu, estava lá e custei a aceitar e a entender como eu podia cuidar daquele “anjinho”, sendo que não sabia se podia cuidar nem de mim mesmo...

Mas descobri que um dos motivos de eu amar tanto minha filha foi justamente este, porque aprendi o quanto é bom ser pai. Me faz falta chegar em casa e não ter minha filha pra abraçar.

Antes eu tinha medo, agora sinto falta, quero pelo menos saber como ela está.

PrintEmail